jusbrasil.com.br
24 de Maio de 2019

Presidente do TSE, Luiz Fux participa de audiência na CCJ sobre voto impresso

Senado
Publicado por Senado
ano passado

A segurança das urnas eletrônicas e a implantação do voto impresso nas eleições de outubro de 2018 voltam a ser debatidas nesta terça-feira (13) na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Dessa vez, com a presença do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux.

Fux havia sido convidado para participar de uma audiência na última terça-feira (6), mas não pode comparecer. O senador Lasier Martins (PSD-RS), autor do pedido de realização do debate, confirmou a vinda do ministro.

Na audiência pública da semana passada, especialistas afirmaram que o TSE tem demonstrado má vontade e falta de interesse para implantar o sistema de impressão de votos na urna eletrônica. Lasier Martins disse ter deixado a reunião com a convicção de que as desconfianças têm procedência.

A reunião da CCJ acontecerá na sala 3 da Ala Senador Alexandre Costa, a partir das 10h, e poderá ser acompanhada por meio do Portal e-Cidadania.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Em minha opinião de leigo, acredito que a Urna Eletrônica é inconstitucional, pois não permite o CONTRADITÓRIO, uma vez que não há como auditar o resultado. Ou seja, se um candidato não aceita o resultado, não há nada a fazer.
Tenho mais de 30 anos de informática e a urna tem seu ponto fraco no momento em que é carregada, pois nenhum eleitor sai com a certeza de que sei voto vai para o seu candidato. continuar lendo

Urna eletrônica não passa de uma fraude. Se hackers invadem os computadores da NASA, só mesmo sendo um imbecil ao extremo para pensar que a urna brasileira, que só é adotada na Venezuela, é segura. Mais de cem países testaram e nenhum a utiliza, por que será?

Bom, depois disso, só mesmo uma apuração à portas fechadas, como se viu em 2014.

Aqui é a terra onde tudo pode... continuar lendo