jusbrasil.com.br
20 de Outubro de 2019
    Adicione tópicos

    Serra agradece convite para prestigiar canonização de Irmã Dulce em Roma

    Senado
    Publicado por Senado
    há 11 dias

    O senador José Serra (PSDB-SP) fez em Plenário nesta quarta-feira (9) uma homenagem à Irmã Dulce, que será canonizada no próximo domingo (13). Serra agradeceu o convite feito a ele por Maria Rita Pontes, sobrinha de Irmã Dulce, para que participe da cerimônia de canonização da Santa Dulce dos Pobres em Roma, junto à família.

    No convite, Maria Rita agradece a participação de Serra na canonização da freira ao, em 2007, entregar ao Papa Bento XVI, como governador de São Paulo, uma carta pedindo que a Santa Sé olhasse com carinho o processo de canonização do Anjo Bom do Brasil. E pede que Serra vá a Roma celebrar com a família, os amigos e devotos da Irmã Dulce “esse momento inesquecível e histórico da sua elevação”.

    — Para homenagear a história dessa brasileira que dedicou à vida a aplacar o sofrimento físico e sossegar o espírito de muito brasileiros humildes e desesperançados é que me senti honrado de aceitar o convite carinhoso — afirmou o senador, emocionado.

    José Serra lembrou a história de caridade e trabalho voluntário de Irmã Dulce que, com obstinação, fez da assistência aos pobres a sua razão de viver. O senador recordou, por exemplo, o episódio em que o escritor Paulo Coelho — que foi morador de rua e teve problemas com drogas — procurou a Irmã Dulce e disse que precisava de ajuda.

    — Ela lhe deu um pedaço de papel onde escreveu: "vale uma passagem", e o motorista o mandou entrar no ônibus. Esse é apenas um episódio que ilustra a sua influência na sociedade baiana — contou Serra.

    Serra relatou ainda que a freira criou o Colégio Santo Antônio, escola pública de Salvador para atender os operários e seus filhos, e transformou um galinheiro do Convento Santo Antônio em um hospital para mais de 70 enfermos. Instituição que, ao longo do tempo, tornou-se o maior hospital filantrópico do país.

    — Antes de exercer o cargo de governador de São Paulo, ocupei o Ministério da Saúde e sou testemunha da obra inigualável do Anjo Bom da Bahia. É reconhecida como benfeitora dos humildes e dos desesperados. Num dos mais pobres estados brasileiros criou obras sociais que são um exemplo de altruísmo e da melhor tradição do cristianismo. Foi isso o que entreguei ao Papa, como texto — afirmou.

    Em aparte, o senador Flávio Arns (Rede-PR) reforçou a importância do trabalho realizado por Irmã Dulce, e aproveitou a oportunidade para agradecer a iniciativa de José Serra de pedir apoio para canonização da freira. Arns afirmou ainda que, em sua opinião, Irmã Dulce conseguiu além dos milagres de cura, o milagre de levar adiante sua própria obra.

    — Você atender milhões de pessoas no decorrer dos anos, milhares chegando a milhões de pessoas, sendo referência para tanta gente, abrindo portas, a gente tem que pensar no Brasil de hoje que isto é um milagre. O milagre de fazer com que a vida das pessoas seja melhor, sem coisa partidária, ideológica, pelo simples sentido de humanidade — elogiou.

    Baiano, o senador Otto Alencar (PSD-BA) reconheceu que Serra, enquanto ministro da Saúde, muito ajudou ao Hospital Santo Antônio, o visitando várias vezes.

    — Eu tenho certeza absoluta de que a sua marca de trabalho lá nunca será esquecida, até porque eu convivi quase 12 anos como médico voluntário e vi como o hospital avançou com tantas pessoas que têm o espírito público que tem V. Exa.

    Também os senadores Paulo Paim (PT-RS), Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) e Nelsinho Trad (PSD-MS) elogiaram José Serra e reafirmaram seu merecimento diante do convite de homenagem a Irmã Dulce.

    Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)